Connect with us

Empresas

Grupo PROESTE celebra nove anos na Nova Alta Paulista

Publicado

em

Do que são feitos os sonhos? Como tornar real algo que inicialmente começa somente em nossa imaginação, mas que é capaz de sustentar e impulsionar o espírito humano?

Se você fizer esta pergunta para o gerente operacional da Proeste Adamantina, Dracena e Tupã, Leandro Tadeu Alves, certamente irá ouvir, depois de um longo suspiro, que eles “são o alimento de nossa alma”.

Em janeiro de 2019, as concessionárias Chevrolet sob o comando de Leandro celebram nove anos desde sua chegada na Nova Alta Paulista. Foi nesta época em que o empresário e idealizador do Grupo Proeste, José Antonio Foganholi (Pardal), acreditou no potencial da região e fez com que seu grupo de concessionárias que já havia se espalhado pelo interior chegasse até o extremo oeste do Estado.

Desde a iniciativa empreendedora de Pardal, a Proeste tem percorrido uma história movida por desafios, conquistas e a construção de uma amizade junto com o cliente.

“Hoje entendemos que o legado que estamos deixando para a região é maior do que o nosso produto. Mostramos para a Nova Alta Paulista que a Proeste é mais que uma empresa. Construímos uma marca reconhecida por sua atuação social, por defender e interagir com iniciativas nobres e por construir uma relação de ‘olho no olho’ com nossos colaboradores e nossos clientes”, comenta Leandro.

Ao olhar para o futuro, a Proeste trabalha para novas e maiores conquistas. A essência fincada no empreendedorismo de Pardal motivou no ano passado a compra de um terreno próprio para a construção de um prédio próprio em Adamantina ainda em 2019 – muito maior e mais confortável, o engajamento com novas ideias e, principalmente, a consolidação como a maior e melhor opção em veículos 0Km e seminovos no Oeste Paulista. Para Dracena e Tupã também estão sendo elaborados novos projetos que, em breve, serão anunciados.

“O desafio é uma coisa que me motiva. Hoje entendo que a grande sacada foi quando descobri que os sonhos são o alimento da alma. Se não alimentarmos nossa alma com desejos e promessa de um futuro melhor, não tem porque continuar lutando. O trabalho honesto e digno é recompensado pelos resultados”, finaliza.

 

Publicidade

Mais Lidas