Connect with us

Cidades

Tribunal de Justiça autoriza internato em São Carlos do curso de medicina

Publicado

em

Em dezembro do ano passado uma decisão em primeira instância do Poder Judiciário da Comarca de Adamantina proibiu o Centro Universitário de Adamantina (UNIFAI) a renovar o termo de colaboração firmado com a Santa Casa de São Carlos, para o internato do curso de medicina. Sua realização foi autorizada por lei municipal de autoria do poder executivo de Adamantina e aprovada na Câmara Municipal, pela condição do hospital, qualificado como “hospital-escola”, em receber essa etapa do curso de medicina, onde a imersão prática é estratégica para a formação médica dos estudantes.

Na decisão de dezembro, após manifestação do Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), via promotoria local, a Justiça de Adamantina entendeu que a execução do internato de medicina, em São Carlos, estaria violando compromisso firmado em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) decorrente de ação civil pública originada em 2016, em que a instituição de ensino local realizaria investimentos na Santa Casa de Adamantina, para que a unidade de saúde tivesse condições de abrigar essa etapa prática, do curso, na cidade.

Assim, desde a pactuação do TAC a UNIFAI tem realizado investimentos em obras, equipamentos e serviços para completa estruturação do hospital local, cuja condição atual, segundo fontes da instituição de ensino, ainda não comportaria sediar integralmente essa etapa do internato, hoje realizada em São Carlos. A UNIFAI pontua questões como espaço físico, número de leitos, volume assistência e complexidade dos serviços de saúde.

O TAC foi originado em razão de problemas identificados na época pelos órgãos fiscalizadores, no hospital adamantinense, com o objetivo definido de melhorar a qualidade dos serviços de saúde realizados. O desenho de solução costurou a participação do equipamento de saúde, do poder público municipal e da instituição de ensino. Grande parte dos investimentos foi suportada pela FAI, como para a nova estrutura ampliada do pronto-socorro, a etapa atual de reforma do antigo setor de PS, a nova UTI e os espaços que abrigam salas de aula, auditório e a ressonância magnética, além de investimentos em equipamentos e repasses mensais.

No entendimento do MPSP local, acatado pela Justiça de Adamantina, a UNIFAI teria descumprido a pactuação. “Acrescenta-se que o desenvolvimento do internato do curso de medicina integralmente no âmbito local/regional, além de decorrer de obrigação constituída em título executivo judicial, atrela-se à própria condição de seu funcionamento regular, que pressupõe a integração do curso de medicina nas estruturas locais, de forma que a persistência da situação poderá prejudicar até mesmo a regularidade administrativa do curso, tudo na forma da Deliberação Conselho Estadual de Educação CEE 167/2019, que expressamente prevê a integração do curso com a gestão local e regional do Sistema Único de Saúde”, narra trecho da sentença de dezembro do ano passado.

Com a proibição de renovar o termo de colaboração com a Santa Casa de São Carlos, a UNIFAI recorreu em âmbito local e depois levou o caso ao TJSP, onde na semana passada foi restabelecida a possibilidade da renovação, conforme acórdão liberado nos autos do Processo 2069679-19.2024.8.26.0000 na segunda-feira (3), pela desembargadora Teresa Ramos Marques, em julgamento na 10ª Câmara de Direito Público da corte paulista.

Conforme argumentou a UNIFAI, nos autos do recurso ao TJSP, “a Santa Casa de São Carlos é a única entidade conveniada que oferece serviço hospitalar de alta complexidade, certificada como Hospital de Ensino pelo Ministério da Educação (MEC), proporcionado formação médica de qualidade e cooperando para a renovação do reconhecimento do Curso de Medicina da FAI pelo Conselho Estadual de Educação do Estado de São Paulo – CEE/SP”. A UNIFAI pontuou também que “a decisão judicial causou prejuízo financeiro à autarquia municipal, pois devido ao seu teor não foram preenchidas as 100 vagas disponibilizadas para 2024”, e argumentou ainda que a realização do internato em São Carlos contribui para a formação médica dos estudantes, a qualidade do curso e inclusive sua sustentabilidade financeira. O fator financeiro foi colocado com destaque pela UNIFAI, para que os investimentos, a partir das receitas, possam continuar sendo realizados na Santa Casa de Adamantina, e o hospital local possa estar completamente adequado e receber essa etapa do curso.

Já o MPSP, também nos autos, pontuou que “a instituição de ensino não cumpre com sua parte no TAC, uma vez que não fornece as informações suficientes do que é necessário para a realização do internato, não sendo suficiente o repasse de dinheiro para fugir de sua responsabilidade”.

No TJSP a desembargadora entendeu que o termo de colaboração firmado com a Santa de Casa de São Carlos que não impede que seja buscado o cumprimento do TAC, com os investimentos previstos na Santa Casa de Adamantina, para que, com condições técnicas e operacionais, possa ofertar esse cenário de aprendizado prático aos estudantes de medicina. “Embora, de fato, o TAC não tenha sido totalmente cumprido nesse lapso de quase 4 anos, é certo que os motivos serão levados ao juízo competente. Todavia, observa-se que o TAC não proibiu que a UNIFAI firmasse convênios com outros hospitais que não fosse a Santa Casa de Adamantina”, escreveu a desembargadora Teresa Ramos Marques, em sua decisão. “Portanto, nesse momento processual, não há elementos suficientes que autorizem a proibição da UNIFAI em renovar o Termo de Colaboração. Além disso, as incertezas e angústias que a proibição de sua renovação possa provocar nos estudantes (conforme documentos trazidos pela agravante, sem contradita do Parquet), aliada à ausência de prejuízo direto ao cumprimento do TAC, levam ao indeferimento da tutela de urgência, pois não está presente o perigo de dano em aguardar a sentença, conforme exige o art. 300 do Código de Processo Civil”, prosseguiu.

Mesmo com a decisão específica que autoriza a renovação do termo de colaboração, em favor da instituição de ensino, a desembargadora fez observância aos compromissos firmados no TAC. “De todo modo, é importante registrar que um TAC não é um documento que se assina para não o cumprir. Peso maior recai no contexto do cumprimento de sentença que tramita na origem, pois decorre de sentença homologatória de mérito, proferida com base no artigo 487, III, alínea “b” do Código de Processo Civil, nos autos da Ação Civil Pública n. 1002842-28.2016.8.26.0081, devendo a UNIFAI envidar esforços suficientes para que o compromisso que assumiu perante o Ministério Público, no intuito de beneficiar a população de Adamantina, seja cumprido”.

 

 

 

Cidades

Palestra “Reviver Adamantina” para alunos da rede municipal de ensino

Published

on

Na manhã de quarta-feira (12), no Anfiteatro da Biblioteca Pública Municipal aconteceu a palestra “Reviver Adamantina”, onde foram apresentadas por João Carlos Rodrigues, fotos que mostram a história da fundação da Cidade Joia.

João Carlos Rodrigues é um estudioso e conhecedor da história de Adamantina, com publicações sobre o tema e autor de livros.

Foram apresentadas fotos desde o desbravamento em 1937 até a instalação do Município de Adamantina em 1949.

A cada imagem apresentada, o palestrante João Carlos Rodrigues narrou todos os detalhes referente a história como: o acontecimento, datas, nomes dos envolvidos e onde ocorreu. Também foram apresentadas imagens da chegada da ferrovia, Avenida Rio Branco na década de 50, primeira equipe dos funcionários públicos municipais, entre outras.

Estiveram presentes para acompanhar a apresentação 230 alunos da rede municipal de ensino. “Garanto que os alunos guardarão para sempre e serão os futuros multiplicadores da bela história de Adamantina”, afirmou João Carlos Rodrigues.

 

 

Continue lendo

Cidades

Festa Junina do Padroeiro trará 32 prêmios e novidades

Published

on

A Festa Junina do Padroeiro Santo Antônio foi a pauta do programa Entrevista da Semana transmitido ao vivo na manhã de segunda-feira (3) pela TV Folha Regional com a participação do coordenador do evento Gabriel Antonio da Cruz.

No próximo dia 15 de junho (sábado) será realizada a 32ª edição, no Recinto Poliesportivo, a partir das 18h, e faz parte da programação festiva do aniversário de 75 anos da Cidade Joia.

O representante da comissão organizadora destacou o sorteio de um Fiat Mobi, uma motocicleta Honda – ambos 0km –, além de outros 30 excelentes prêmios. “Para concorrer aos prêmios basta adquirir o cupom pelo valor de R$ 10,00 (cada), que pode ser encontrado para comprar no posto fixo de venda em frente à Igreja Matriz, nos pontos de venda espalhados pelo comércio local e também com integrantes dos movimentos pastorais”, informou.

Além da premiação, o público presente poderá saborear uma variedade de comidas e bebidas comercializadas nas barracas espalhadas debaixo da cobertura do Poliesportivo. Haverá ainda brinquedos e outras atrações.

Para esta edição algumas novidades serão trazidas ao público, como a venda antecipada do combo de fichas na Secretaria da Paróquia Santo Antônio e, na parte de alimentação, a inclusão do pão com linguiça no cardápio do evento. “Os valores foram mantidos, alguns inclusive houve redução, porque sempre pensamos em fazer uma festa popular, de maneira que a família possa participar”, completou Gabriel.

Mais informações sobre o evento no telefone 3521 1014.

A entrevista na íntegra pode ser assistida no portal adamantinanet.com.br

 

 

 

Continue lendo

Cidades

Cursos de graduação desenvolvem ações de educação em saúde junto a Tiro de Guerra

Published

on

O Centro Universitário de Adamantina, por meio da Pró-reitoria de Extensão (PROEXT), desenvolve ações de educação em saúde no Tiro de Guerra de Adamantina. Até o momento, participaram os cursos de Educação Física, Nutrição e Psicologia. As atividades foram realizadas, respectivamente, em 7 de junho, 14 de maio e 26 de abril.

“O sargento Souto teve essa ideia e desejo em trazer atividades educacionais aos atiradores do Tiro de Guerra. Nós aceitamos a parceria e uma vez ao mês um curso vai até ao local desenvolver alguma atividade”, explica a coordenadora de extensão da área de Biológicas, Prof.ª Dra. Mayara Moura Alves da Cruz.

No último dia 7, o Prof. Me. Fabiano Montagnoli Pereira do curso de Educação Física recebeu os atiradores na Academia Arena, onde promoveu sessão de alongamento e treinamento funcional.

Em 14 de maio, a orientadora de estágio supervisionado em Nutrição, Andreia Cristiane Grassi, e as estudantes do 4º ano Laiane dos Santos Geraldo, Thamyres Alexandra Souza Silva, Gabriela Marchetti Cossi e Maria Eduarda Almeida de Aquino ministraram palestra sobre alimentação saudável.

Em 26 de abril, a Prof.ª Dra. Ana Vitória Salimon-Santos e os universitários Bárbara Preto, Beatriz Claudino e Paulo Henrique ministraram sobre “O tempo e os desafios de ser jovem no mundo atual”, que propôs a reflexão de como administrar a saúde mental diante das pressões impostas pela sociedade no atual contexto.

“O Tiro de Guerra é uma instituição que desenvolve os sensos de identidade nacional, civismo e cidadania. Pensando nisso, surgiu a ideia de contar com o apoio da FAI, visto ser uma instituição com reconhecimento irretocável nas áreas de biológicas, saúde, exatas, agrárias e humanas”, avalia o Chefe da Instrução do Tiro de Guerra de Adamantina, Sargento Leonardo Pereira Souto.

Para o sargento, as palestras e atividades são trocas de experiências relevantes a todos: chefe da instrução, atiradores, professores e estudantes universitários.

“A participação de nossos amigos do Centro Universitário Adamantina ratifica a parceria entre as instituições. O TG 02-080 agradece a FAI, a Prof.ª Mayara, a Prof.ª Ana Vitória, a Prof.ª Andreia Grassi, o Prof. Fabiano e os universitários pela disponibilidade em contribuir com a instrução aos nossos atiradores até o momento e pretende firmar essa parceria ao longo dos anos”, finaliza.

 

Continue lendo

Mais Lidas

error: O conteúdo está protegido !!