Connect with us

Geral

Greve dos caminhoneiros: com adesão baixa, protestos começam em 15 estados

Publicado

em

Mesmo com a categoria dividida, uma parcela considerável de caminhoneiros aderiu à greve iniciada nesta segunda-feira (26), dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas . O grupo reclama do preço do diesel , e pede um piso mínimo para frete . 

CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas) convocou a greve, mas foi descredibilizado pelo ministro Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura . Segundo ele, o Conselho não representa a categoria. A possibilidade de adesão maior à greve ainda é incerta. 

À Folha de São Paulo o presidente do CNTRC, Plínio Dias, disse que caminhoneiros realizaram atos em pelo menos 15 estados, incluindo Paraná, Rio Grande do Sul e Ceará, ao longo do dia.

A greve foi convocada ainda no mês passado por líderes que promoveram a paralisação da categoria em 2018. Os caminhoneiros se opõem ao aumento no preço dos combustíveis e reclamam da falta de atenção do governo federal em programas. 

O presidente do CNTRC, acredita que a adesão pode crescer nos dias subsequentes. Ao todo, ele afirma ter enviado 387 ofícios ao governo com as demandas da categoria.

Uma delas é o pedido de fim para a Política de Paridade Internacional da Petrobras, que regula o preço do combustível de acordo com o mercado mundial. Outro é o fim da isenção do PIS/Cofins sobre o diesel.

“A categoria está achando um absurdo o aumento do combustível. A gente não sabe quando o preço vai aumentar. Quando percebe, já subiu. Tem a questão do frete também”, afirmou.

“A categoria já está aderindo [à paralisação]. Em pelo menos 15 estados o pessoal está se mobilizando. A gente encosta os caminhões em postos nas rodovias, estica faixas e vai chamando a galera”, completou.

Publicidade

Mais Lidas