Connect with us

Cidades

CETESB multa usina por poluição no Rio Aguapeí entre Adamantina e Valparaíso

Publicado

em


Após a veiculação de uma matéria pelo portal de notícias Adamantina Net sobre a suposta poluição no Rio Aguapeí, entre os municípios de Valparaíso e Adamantina, a CETESB realizou uma fiscalização que resultou na aplicação de uma multa no valor de R$ 29.119,09 a uma usina instalada naquela região.

Naquela oportunidade, em 28 de abril, foram divulgadas imagens e também relatos de forte odor por pescadores e pessoas que frequentavam o local. A mortandade de peixes envoltos em uma espécie de massa estranha também era evidente nas imagens enviadas pelos internautas.

Nos vídeos eram notórias as diferenças de cor entre a água que descia do córrego e a da margem do rio.

Ao receber a denúncia, o Ministério Público do Estado de São Paulo solicitou que a CETESB realizasse os trabalhos de apuração sobre o que estaria sendo despejado nas águas e que por sua vez, fez vistorias nos dias 28 de abril e três de maio.

Segundo divulgou a CETESB, na primeira averiguação (28 de abril), não foi localizado nenhum tipo de dejeto ou fator de poluição que fosse prejudicial à vida subaquática, porém, em segunda visita, desta vez realizada pela equipe de Araçatuba no Córrego Sapé e Rio Aguapeí em três de maio, foram coletadas amostras que após encaminhadas para laboratório, passaram por análises que constataram alterações na água colhida sob a ponte da Rodovia Plácido Rocha, justamente no curso da correnteza do parque industrial de uma usina instalada naquela região.

Ainda segundo informou a CETESB, os odores eram característicos da presença de caldo da cana-de-açúcar e a temperatura substancialmente acima dos demais pontos em que foram colhidas amostras ao longo do corpo d’agua.


Diante dos fatos, a CETESB autuou a empresa do setor sucroalcooleiro e ainda determinou que fosse cessado qualquer lançamento não autorizado no corpo d’agua e ainda que ela realizasse o monitoramento das águas daquele corpo hídrico.

EMPRESA SE MANIFESTA

A Assessoria de Imprensa da Raízen, empresa penalizada após a atuação da CETESB, divulgou uma nota que repercutiu em portais de notícias se manifestando sobre o assunto.

“A Raízen dispõe de mecanismos de controle que monitoram suas operações diariamente e equipe dedicada para atuação em eventuais ocorrências desta natureza, além de contar com operações ambientalmente adequadas, garantindo que todos os efluentes gerados sejam devidamente tratados e que não haja riscos na dinâmica da fauna da região. A empresa está em contato com os órgãos competentes para garantir ações contínuas de prevenção e proteção dos recursos hídricos, além de seguir as normas ambientais e manter um canal de comunicação ativo com as comunidades do entorno para oferecer suporte e esclarecimento de eventuais dúvidas”.


Publicidade

Mais Lidas