Adamantina e Pacaembu promovem ações durante a Semana da Justiça pela Paz em Casa

 

 

Como parte da 15ª Semana da Justiça pela Paz em Casa, iniciativa nacional de conscientização, prevenção e julgamento de casos de violência doméstica, as comarcas de Adamantina e Pacaembu realizaram, nos últimos dias, ações de combate ao feminicídio e à violência de gênero. Nesta edição, em parceria com o Ministério Público e com o Poder Executivo, as cidades engajadas na campanha objetivaram a reflexão sobre a relevância da educação na promoção da paz e no combate à violência no âmbito familiar.

A juíza Ruth Duarte Menegatti, diretora do fórum de Adamantina, foi a idealizadora das atividades, denominadas “Roteiro Único Humanizado”, por aplicar o projeto em diversos municípios com uma mesma linha de trabalho e mesmo objetivo.

As ações começaram na segunda-feira (25), no fórum da Comarca de Pacaembu, com o encontro de um grupo educativo para homens. A psicóloga e consultora em educação, Denise Alves Freire, conversou sobre os direitos da mulher, as consequências da agressão e outros assuntos, ao abordar o tema “O conflito do silêncio: violência branca em pauta”. No dia seguinte, a psicóloga falou também às mulheres, desta vez sobre “Mapa das Profissões: receita de empoderamento real” a fim de orientá-las quanto à busca de profissões para conquistar independência financeira.

Ainda na terça-feira (26) aconteceu workshop para apresentação do portfólio de educadores do Ensino Fundamental I de Pacaembu, Irapuru e Flora Rica com o tema “Construindo a Igualdade Humana”. Na ação, professores das escolas municipais convidaram os pais, autoridades e público interessado a apresentarem o resultado dos trabalhos escolares desenvolvidos pelas crianças.

Na quarta-feira (27), em Adamantina, alunos participaram junto com os pais do “Ateliê de aprendizagem: Outros mundos, novos conhecimentos”, que também mostrou a produção literária de crianças do Ensino Fundamental I do município.

Para a juíza Ruth Menegatti, que participou das ações nas escolas, “todo o projeto desenvolvido demonstra que é possível construir novas perspectivas no combate à violência doméstica, principalmente no âmbito educacional”. A magistrada salientou que, mesmo com as dificuldades de se trabalhar o tema da igualdade de gêneros e dos direitos da mulher em municípios menores em que se percebe muito ceticismo em relação ao tema, “a receptividade dos professores foi impressionante e a capacitação da rede apontou ser a inclusão curricular um caminho a se trilhar no futuro”.

Participaram ainda dos eventos da 15ª Semana da Justiça pela Paz em Casa em Adamantina e Pacaembu os juízes Carlos Gustavo Urquiza Scarazzato (2ª Vara de Adamantina), Luciana Amstalden Bertoncini (1ª Vara de Pacaembu) e Rodrigo Antonio Menegatti (2ª Vara de Pacaembu); o secretário da Educação de Adamantina, Osvaldo José; os promotores de justiça de Pacaembu, Yuri Fisberg e Rafael Salzedas; a assistente social Josy Ferreira Primo e a psicóloga Regina Furtado Costa Campos, também de Pacaembu.

 

Comunicação Social TJSP – TM (texto) / Divulgação (fotos)

 

VOCÊ PODE GOSTAR

TV Folha Regional