ARTIGO: Organização e Mercado Regional…

 

“As ideias são um capital que só dá juros nas mão do talento.” (Rivarol)

Sérgio Barbosa (*)

Pode-se afirmar que atualmente o cenário mercadológico continua proporcionando momentos de incertezas em todas as áreas, assim, faz-se necessário que as organizações estejam em estado de alerta com o contexto plural deste tempo de incertezas…

Tais divagações estão localizadas em temas e temáticas que estão além do pragmatismo contextualizado deste ou daquele momento, portanto, é necessário que a organização esteja preparada para enfrentar as turbulências do mercado…

Mesmo assim, tudo pode ocorrer de um momento par ao outro, por isso, em questão de gestão é fundamental, primeiro, entender e depois, aplicar as propostas mediadas pela “teoria dos jogos” em benefício da organização e sempre buscando estar em conexão com as tendências mercadológicas…

Também, não se pode mais ficar “fazendo de conta” em um mercado que exige e qualifica tudo e todos, por isso, as organizações devem estar acima dos interesses específicos para que o projeto possa ser coletivo…

Não se pode esquecer que as diretrizes direcionadas para a competição do mercado estão de um jeito ou outras comprometidas com a expansão organizacional em tempo de pós-globalização midiática…

Desta forma, os gestores estão mais do que comprometidos com as alterações que estão atreladas aos avanços tecnológicos que proporcionam uma constante transformação nas redes empresariais em busca da qualidade e disputa pelo mercado…

Neste apresentado em nível “glocal”, ou seja, do global para o local, tendo em vista que a denominada “pós-globalização” aproximou o planeta em todas as áreas, faz-se necessário que o “Mercado Regional” fique atento às novas propostas neste tempo de incertezas em todas as áreas…

No entanto, o mercado REGIONAL encontra, ainda, muitas dificuldades relacionadas com este cenário mais do que complicado e assim por diante, ainda, por exemplo, na área de serviços e prestação dos mesmos, assim, colocando em risco a continuidade do retorno financeiro e assim por diante…

As organizações em geral, não podem esperar passivamente pelo que pode ou vai ocorrer no mercado, mesmo preparando para enfrentar este cenário de turbulências em quase todas as áreas de produção e serviços, pode-se de um jeito ou de outro, buscar alternativas para que se possa dar continuidade ao projeto empresarial…

Entretanto, para que tais possibilidades possam ocorrer no mercado provinciano, deve-se estar “aberto” para as novas propostas mediadas pela necessidade da “reestruturação organizacional” com ações segmentadas para que a expansão possa estar de acordo com as exigências mercadológicas…

O mercado, como diz o dito popular, “não está pra peixe”, desta forma, os gestores e gestoras devem estar em sintonia com os cenários próximo e distante, buscando informações sobre sua área de atuação, bem como, pesquisando outras possibilidades de atuação neste mercado por meio de ações em parceria com o objetivo de racionalização de custos operacionais, produção e serviços…

Neste panorama internacional, quando as organizações estão buscando a racionalização de custos em benefício do lucro líquido, nada pode ser deixado de lado por causa de um simples problema localizado, assim, o/a “Gestor/a” deve estar acima do que se considera normal ou de acordo com o mercado…

____________________________

(*) Jornalista Diplomado e Consultor na Área de Gestão da Comunicação Organizacional.

VOCÊ PODE GOSTAR

TV Folha Regional