Prefeitura inicia sepultamentos em cemitério vertical

 

 

Foram iniciados os primeiros sepultamentos utilizando a nova estrutura verticalizada no Cemitério da Saudade, em Adamantina. Segundo revelou o jornal Diário do Oeste nesta sexta-feira (11), até a última quarta-feira (9) já haviam sido realizados quatro sepultamentos no novo espaço.

No módulo inicial com 104 unidades, os corpos são sepultados em lóculos (gavetas), onde são recepcionadas as urnas funerárias.

A estrutura conta com tubulação para troca gasosa e descontaminação, interligando todos os lóculos. Esse sistema é regulado por registros (válvulas) e operado com motor. O esquema será responsável por filtrar os gases – que após serem filtrados são lançados na atmosfera – e acelerar a decomposição dos corpos.

A opção pela estrutura vertical foi encontrada pela Prefeitura para resolver o problema do esgotamento do espaço físico do cemitério, que sempre recebeu os sepultamentos tradicionais. No início de sua operação as urnas funerárias eram depositadas diretamente na terra, e depois evoluíram para sepultamento em túmulos de alvenaria.

Agora, em uma nova fase – sem possibilidade de expandir sua área física e momentaneamente adquirir e licenciar uma nova área – o município inicia a operação em estrutura verticalizada.

Entre as vantagens da nova estrutura, está a possibilidade de realizar um melhor aproveitamento da área restante, com implantação de módulos verticalizados. Além disso, há ausência de interferência de necrochorume decorrente da decomposição dos corpos, junto ao solo e águas subterrâneas, e facilidades para a operação dos serviços de sepultamento.

 

Reações

A medida encontrada pela Prefeitura de Adamantina para garantir o sepultamento de corpos foi a solução mais prática, considerando a atual limitação do espaço físico restante no Cemitério da Saudade.

Porém, mesmo sem outra alternativa no atual espaço, a nova estrutura enfrenta duas resistências: uma delas é a questão cultural, que envolve hábitos e costumes; e a segunda trata da preocupação ambiental, sobretudo de moradores do Jardim Europa, ao lado do cemitério, que temem pelo lançamento de gases decorrente da troca gasosa mecânica.

 

Estrutura

O módulo inicial contou com uma base de concreto e respectiva cobertura. Nessa estrutura estão os lóculos, produzidos em material reciclável, onde serão recepcionadas as urnas funerárias.
A primeira galeria abriga dois conjuntos de gavetas: uma com 48 gavetas e outra com 56 gavetas, que somam 104 lóculos.

O projeto inicial prevê a implantação de 400 lóculos. Segundo registros da Prefeitura, há mais de 20 mil sepultamentos no Cemitério da Saudade.

 

Reportagem e fotos: Siga mais

 

https://scontent.fbau1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/69403089_526402864832076_8859119674411974656_o.jpg?_nc_cat=109&_nc_eui2=AeHSxTDF317LrQQMQGRiZGCllBPPYe6t2xuggtdqONRXfO6URk9FAORxjXHCtv3iQdfwp6hdsGnFUgD88IdSnb9HBUAfvS-aA04y1Ftv4CryJg&_nc_oc=AQkZe0WeGpjJStp9BVu92BX18IASfT0btUV61pT0asLbvVEUqRtRuU918x5AroPEriXVytzORBfnawje_UJUcrjz&_nc_ht=scontent.fbau1-1.fna&oh=5e8c4509f9d6c5b0731adf553c096734&oe=5E2498E9

VOCÊ PODE GOSTAR

TV Folha Regional