A PROVÍNCIA EM MEIO AOS DESENCONTROS DESTE NOVO TEMPO NOVO QUE SE CHAMA HOJE…

“Quando eu for, um dia desses,
Poeira ou folha levada
No vento da madrugada,
Serei um pouco do nada
Invisível, delicioso

Que faz com que o teu ar
Pareça mais um olhar,
Suave mistério amoroso,
Cidade de meu andar
(Deste já tão longo andar!)

E talvez de meu repouso…”

(Mario Quintana)

Confesso que depois de quase 20 anos morando e vivendo em terras provincianas, ainda, em meio aos muitos desencontros deste NOVO TEMPO NOVO tem proporcionado muitas idas com poucas vindas para o meu lado deste mesmo lado…

https://scontent-gru2-2.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/61848576_469352663870430_1248633648207364096_n.jpg?_nc_cat=109&_nc_eui2=AeFLM2royePL9uo_HXNjnnfIHGF4RpBkx0Cyt8P67q-3IAEWHtw0BzBVa361F-V_s16H20ASfs9J58qlmkUm0X9x9J_zyz7q8KyeKVReJUgceQ&_nc_oc=AQn_1E8NUQw5TZR4guccyUOJfHyCw1copoN1B25H9bQkho27PkTfNisb_TM8H_Ojpig&_nc_ht=scontent-gru2-2.xx&oh=1236ef24428d862535b544808082d2c5&oe=5D9B04A4

Entendo que todos de um jeito ou de outro, ainda, independente de estar deste ou do outro lado na PROVÍNCIA, pode de um jeito ou de outro registrar isto ou aquilo, ainda mais entre os ocasos de um talvez e ponto quase final…

Por isso e mais aquilo, estou sempre tentando superar os obstáculos para um olhar mais a frente deste TEMPO NOVO TEMPO, porém, nem sempre se pode acreditar que isto ou aquilo pode fazer a diferença em terras provincianas…

Ainda, escrever um texto na “primeira pessoa” torna as coisas mais próximas, talvez, distantes por um lado ou do outro lado, por isso, a melhor alternativa é usar e abusar das “ironias” ou “palavras cifradas”  para evitar o confronto com este ou aquele lado de um mesmo lado…

Além do mais ou de menos, como sempre, depende de cada leitor ou leitora, cada qual deve entender o conteúdo do seu jeito de ser, ainda, se possível, estar em conexão com o texto e assim por diante…

Também, escrever alguma coisa desta mesma coisa na “terceira pessoa” pode trazer muitas perguntas para raras respostas disto ou daquilo, portanto, de um jeito ou de outro, deve-se tentar registrar as palavras para muitos desencontros sobre este TEMPO NOVO TEMPO para a PROVÍNCIA DE ADAMANTINA…

Depois de quase duas décadas deste lado, acredito que se pode tentar entender os processos e procedimentos que ocorrem em diversas áreas e ponto quase final…

Faz alguns anos participei como “Coordenador Editorial” de uma publicação comemorativa do “Aniversário da Província”, portanto, fiquei conhecendo muitas faces históricas desta cidade, bem como, fatos “não oficiais” que ocorreram no outro tempo, entretanto, tais ocorrências não eram registradas por causa disto ou daquilo…

Na atual conjuntura em nível nacional, pode-se tentar levantar algumas possibilidades para o momento atual da PROVÍNCIA, haja vista o contexto “regiocal”, ou seja, do regional para o local em tempo de pós-globalização midiática…https://scontent-gru2-2.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/61637796_468199810652382_8548066718222647296_o.jpg?_nc_cat=109&_nc_eui2=AeFSCH29ZCI9wYQM_DwktImY3idxU3ldAlE6lVstT4PbswsJCWW-3s-AIBHptWOjYBrGauUGcmmcrpKdKHO9tuAmwRCZ4i3q1l-BfffA23OTCw&_nc_oc=AQmzdautWX-xqAhcXLY9FXjB3-XiCoVihreT9PKEJ-SsShPRfbJHsrSSlXm8AohStJU&_nc_ht=scontent-gru2-2.xx&oh=34efe057464dadfd48ce0186a5001a7c&oe=5D82B9BE

A questão em pauta, ou seja, “as críticas” nem sempre são bem recebidas pelo poder em nome do poder com o poder, portanto, “todo cuidado é pouco” nestas questões, isso sem escrever que “é melhor prevenir do que remediar”…

De um jeito ou de outro, a maioria das pessoas apreciam comemorar alguma coisa, ainda mais um aniversário para um olhar além do presente em busca do futuro, entretanto, não se pode esconder o passado…

Existem muitas PROVINCIAS neste PAÍS DO FAZ DE CONTA que se colocam como um LIVRO ABERTO, PORÉM, ESCONDEM A CAPA ou pior, colocam por debaixo de algum tapete sem mais e sem menos…

Afinal de contas são 70 ANOS marcando presença na Região da “Nova” ALTA PAULISTA para muitas histórias por meio das memórias dos/as pioneiros/as que naquele outro tempo fincaram os “pés” em terras provincianas em busca dos “sonhos e utopias”…

AVE PROVÍNCIA DE ADAMANTINA!

Sérgio Barbosa

VOCÊ PODE GOSTAR

TV Folha Regional